Praxis Seizure: Heart.


 Inner Circle Ventrue está concovando um Referendum;

Em alguns momentos da vida o título que você possui torna-o mais importante dentre os demais ali presentes.

 No card game Vampire, temos os títulos como pontuação para determinar situações de voto, sempre do mais antigo ao mais novo, podendo até alguns vampiros não possuírem nenhum título, nem voto. Porém, há cartas de Votação, chamadas Praxis Seizure: (Local), que torna determinado vampiro um titulado, geralmente estes tornam-se príncipes ou priscus, dependendo da carta. No entanto há outros momentos que podemos perceber a importância, ou não, do título.

 Algumas pessoas acreditam que só pelo fato de possuírem a carteira de trabalho assinada pelo empregador, isso dará estabilidade trabalhista. O que é de fato errôneo, pois o empregador pode a qualquer momento despedi-lo. Do mesmo jeito ocorre nos relacionamentos.

Ter título de ficante, namorado, noivo ou marido, não dá nenhuma segurança que tudo será feliz para sempre e que ninguém pecará. Muito pelo contrário! Os títulos que põem credibilidade aos relacionamentos, servem mais como instituições falidas de fé. Vivendo, assim, em um mundo comportamental que é reflexo da maioria societária, ou seja, pura farsa.

 Sinceramente, ter algum título não fará de você uma pessoa melhor ou pior, mais amorosa ou menos amorosa, mais fiel ou menos fiel. Há quem diga que tudo muda a partir da intitulação, como se as pessoas precisassem ouvir que possuem vínculo superior à amizade. Entretanto, ter respeito e dedicação a construção de futuros é algo que independe da vontade sob o nome que lhe é dado. 

 Quando você sai com alguém e determina que quer mesmo aproveitar maiores momentos com ela, pode-se nesta situação pedir-lhe em namoro, porém, vide o tempo no qual estão saindo. Evite pular de galho-em-galho, como se não pudesse ficar sozinho por dias ou meses oriundos de um fracassado relacionamento. Às vezes as pessoas se pegam ao nome e esquecem de fazer o trabalho, daí pergunto: Do que adianta?

 Outras hipóteses são aquelas que vemos em Osmose Love: Quando o casal está saindo por algum tempo e do nada acontece que estão namorando, noivos ou casados. A simples osmose acontece com essas duas bactérias que se vincularam por algum motivo, observe que no caso de Osmose Love, o fato gerador é a interação quase síncrona do casal, o que faz acelerar os passos para um relacionamento mais maduro do que o convencional.

 No convencional, Love History: As regras são seguidas à risca, do tradicional encontro até o pedido de namoro formal aos pais da tão querida futura-namorada, depois vem o noivado e sua celebração e logo após, o grande casamento. De fato é hoje um dos mais raros, pois custa tempo, dinheiro e paciência dos casal apaixonado e das famílias e amigos envolvidos. Passar meses saindo, anos namorando, para depois noivar e casar, isso nos tempos onde a notícia é dada na hora que acontece, esses rituais tradicionalistas são tidos como obsoletos, porém românticos.

 Conheço o Pegou-Colou: Onde acontece a aceleração mútua. Tudo é muito rápido e intenso, podendo sair filhos em apenas alguns meses de convívio que vem em outros meses ou semanas de namoro. Apreciei de perto alguns casos próximos de pessoas que conheceram o cara hoje e na outra semana já estava morando com ele, só por achar que era "O CARA" da vida dela. Este método é arriscado e árduo, pois não há o mínimo de tempo probatório para que se haja afinidade suficiente para o compartilhamento de um mesmo banheiro, por exemplo, quiçá uma casa e vida de casado?!

 Sou do tipo Love History, por querer sempre as coisas dentro dos conformes. Por algumas vezes deixei oportunidades passarem, pessoas e lugares, por não querer fazer diferente. Creio que, ainda hoje, o melhor método de ter uma família estável é construir blocos de concreto afeto e aos poucos construir o lar com a pessoa amada. Por mais que seja demorado, mas o trabalho final compensa muito, mesmo que não dê certo, pois você sabe que tentaram o máximo que puderam. Lembrando sempre que: Todos somos diferentes em pensamentos, atitudes e reações.

 Se fosse para dar uma dica sobre relacionamentos, seria a mesma de sempre, aproveite todos os momentos que puder, os bons e ruins, nunca perca a fé em seu relacionamento, confie sempre que possível, dê o seu melhor e não espere retorno de nada, apenas de no mínimo o respeito de quem te quer bem. Uma das nossas grandes falhas é se colocar no lugar do outro para pedir alguma coisa, sempre será "queria que fosse diferente, que ele fizesse diferente, que ele isso e aquilo." esqueça essas coisas e faça o seu, se for algo que ele possa mudar, apenas converse em um momento agradável. As pessoas se decepcionam por criar muita expectativa, não prometa nada e você pode se surpreender.

 Vale frisar também que todos esses poucos exemplo de relacionamentos supra citados, possuem seus conflitos diários tal como qualquer tipo de interação humana, não há na face desta Terra, um relacionamento se quer, que não passara por provações uma hora ou outra. O que é válido por garantir o amor compartilhado que avança problemas e levanta mais ainda o nível de relacionamento.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Faça amor nu.

Faça Amor, Não Faça A Barba!

Quando bate aquela saudade.