Do Francês.


E te encontrei lá em cima. No lugar mais alto do mundo, te encontrei nas nuvens que atravessam o limiar do real e do inimaginável. Você ia lá uma hora ou outra, refugiando de si, de nós, deles, de tudo aquilo que não tivesse aspecto real de felicidade. Te encontrei lá no superior, por um acaso, enquanto eu vagava em busca de alguns, digamos, raios. Sabia que conhecia aquelas pegadas graciosas de pequenas criaturas, dessas que são maiores que todo mundo pelo intrínseco potencial, esses mini-seres são encantadores e raros, por isso se aventuram sozinhos em busca de proteção, mas quem diria que eu seria o tal para encontrar tua alma espreguiçada numa flutuante, bem pertinho do meu Alma Voraz, aquela embarcação que passeava pelos céus e te fazia olhar o infinito. Quem diria? Sabendo que você se escondia entre as paralelas prateadas e fofas, observei do meu telescópio o que você queria, estudei teus movimentos e pouco-a-pouco me aproximei, mas não com o gigante Alma Voraz, muito pelo contrário, fui nadando lentamente até chegar no subidouro que tanto tu escondias. E foi assim que você me contou sobre um lugar secreto, um lugar onde você era feliz, mesmo com a tristeza nos olhos, olhos que englobavam tanta coisa que fiquei maravilhado quando ele encostou em mim, teu olhar jabuticabal que exala um carinho explendorável, sim, explendorável, a palavra que você me disse uma vez em um momento de embriagues, e que até hoje eu tento usar em algum lugar, mas não existe lugar palpável para algo assim, tão incrível. É tão comum isso que chega a ser batido, repetido, essas coisas que só existem em um só lugar, ou com determinada pessoa, isso me parece um pouco francês, um tanto clichê. Um dia você vai entender o porquê das pessoas terem inveja do teu ser, quando um dia você conseguir enxergar a si como todo mundo o faz, e então avistar, mesmo que em um lugar que só você pode criar, você vai se ver completa. Morena, se você tivesse noção do teu poder, não ficaria por aí remoendo os próprios anseios, não devoraria o próprio coração, mas qualquer hora você fará a travessia. Eu acredito. E enquanto isso não acontecer, enquanto você estiver por aqui, eu estarei voando com minha imensa embarcação de sonhos, te dando carona pelo infinito sempre que quiser.
P.S.: Para subir a bordo terá que estampar o sorriso mais explendorável que eu já conheci, aquele que brilha os jabuticabais olhos e que faz o tempo passar mais leve.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Faça amor nu.

Faça Amor, Não Faça A Barba!

Eu fui à praia sozinho.