Pupila.



 Se um dia, qualquer dia, você conseguir ler meus olhos distantes, saiba que será como uma revelação. Não uma grande notícia sobre a tua vida, sobre a minha ou a deles, ao contrário, será um evento tão significante que você ficará sem palavras.
 Teu cérebro vai liquefazer de ideais e conexões absurdas de momentos ou possibilidades, gaguejará por conta de razões exponencialmente concretas, de desculpas alfas e betas, de mágoas altas, de culpas moderadas e calará pela paz infinita.
 Então você entenderá aquilo que se passa com o universo que você toca, com o universo que é tocado por você, com o que você pode ver e com o que não pode, com todas todas todas as coisas, com as criaturas e micro seres que talvez você nem saiba que exista, você vai se dar conta da solidez dos minerais, do colorido das plantas diversas, e até do fluxo do vento por sobre as coisas.
 Se um dia, qualquer dia, você conseguir ler, seus olhos ficarão distantes.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Faça amor nu.

Faça Amor, Não Faça A Barba!

Quando bate aquela saudade.