Muncle Trogg


Os gigantes vivem no topo do Monte das Lamentações, escondidos dos humanos que estão lá embaixo. Mas nem todos são realmente grandes. Muncle Trogg, por exemplo, é tão pequeno que acaba virando alvo da zombaria dos outros. Chateado, ele decide descer a montanha e dar uma olhada nos tais Pequenotes, com quem dizem que se parece. E o que Muncle descobre é de fato surpreendente. Um meigo e encantador conto de fadas às avessas, Muncle Trogg: O menor gigante do mundo é o primeiro volume da série protagonizada por Muncle, Emily e o dragão Snarg, que irá arrancar gargalhadas dos jovens leitores. 



A) Opinião sobre a história?
A história pela sinopse e nada é a mesma coisa. O livro já é bem mais interessante, tipo aventuras de crianças. Bem legal e simples de acompanhar, uma leitura agradável.

B) Opinião sobre os personagens?
Todos os gigantes, pequenotes e dragões são simples. Muncle e Snarg são criaturas bem cativantes.

C) Qual o ponto entre a posição atual e a sinopse?
Muncle Trogg está nos exames da escola. Ele já foi para o mundo dos Pequenotes e não foi por chateação como descreve a sinopse. E ninguém diz que ele parece um Pequenote, essa sinopse aí não tá com nada. Acredito que o cara que fez isso nem leu o livro.

D) Frase mais interessante até agora?
(Posto depois)

E) Qual a ultima frase da página 100?
O gongo soou mais uma vez para indicar o fim do almoço.

F) Pretende continuar a ler?
Sim, história boba mas agradável. Merece um tempinho da vida para rir com o menor gigante do mundo.

G) O que esperar do restante do livro?
Espero que Muncle não faça nada para estragar o aniversário do Rei e que ainda consiga passar nos exames de Gigantia, também que o Dragão não tenha as asas cortadas, isso é importante.

H) Indicaria esse livro?
Claro. Primeiramente porque ele pode ser encontrado bem barato, barato mesmo, tipo menos que uma passagem de ônibus. A leitura é simples, disposta a te agradar sem esforço, a história não trás nada de exagerado ou escandaloso, algo que em tempos como essas de barulho e violência soa até como um paraíso.
Um livro infantil que qualquer pessoa poderia ler sem muito mimimi.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Faça amor nu.

Faça Amor, Não Faça A Barba!

Eu fui à praia sozinho.