Argo


Em 4 de novembro de 1979, os funcionários da embaixada dos Estados Unidos em Teerã são surpreendidos pela invasão de um grupo de militantes, que faz 52 reféns. Em meio à confusão, seis diplomatas conseguem escapar e encontram refúgio na residência do embaixador do Canadá. Mas Tony Mendez, especialista em disfarces da CIA, sabe perfeitamente que é apenas uma questão de tempo até que sejam encontrados. Para retirá-los do país, ele concebe um plano muito arriscado, digno de cinema. Disfarçando-se de produtor de Hollywood e apoiado por um elenco de agentes secretos, falsificadores e especialistas em efeitos especiais, Mendez viaja para Teerã a pretexto de encontrar a locação perfeita para um falso filme de ficção científica chamado Argo. Neste livro, ele revela todos os detalhes da complexa operação que aliou o alto escalão de Hollywood ao mundo da espionagem. 

A) Opinião sobre a história?
O que mais atrai em histórias com espiões é praticamente sua fuga, seja lá pra onde for e seus motivos. Aqui a coisa é bem mais louca e incrível, pois no meio de uma grande confusão e situação delicada que é, temos o plano mais impensável. Genial.

B) Opinião sobre os personagens?
O protagonista, dono da mais intrigante forma de resgate, traça a os acontecimentos de forma simples, o problema é que tem muitos nomes, alguns desnecessário, e como todo bom conto de ação, os micro detalhes são ignorados deixando apenas as ações tomarem conta de tudo. 

C) Qual o ponto entre a posição atual e a sinopse?
Ainda arquitetando o plano, enquanto os prisioneiros estão em maus lençóis.

D) Frase mais interessante até agora?
(Sem frases relevantes, verificarei depois.)

E) Qual a ultima frase da página 100?
Meus olhos pousaram na porta do banheiro masculino. 

F) Pretende continuar a ler?
Sim, o livro é curto, 243 páginas e as coisas vão acontecendo de forma interessante.

G) O que esperar do restante do livro?
Que o plano mirabolante dê certo, e que as coisas fiquem melhor no lado do Irã. Muito desesperador aquilo tudo, o livro deixa claro como imaginar.


H) Indicaria esse livro?

Claro, mas com muito cuidado. É um livro para ser apreciado com cautela por ter muita aparência militar, policial etc.
Um bom livro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Faça amor nu.

Faça Amor, Não Faça A Barba!

Eu fui à praia sozinho.