Ensaio Sobre Ela


 Sabe, hoje é um daqueles dias em que não sabemos muito o que fazer. Dizem que quando completamos aniversário, devemos sempre agradecer, pedir e agradecer novamente. Não sei ao certo se deveríamos comemorar aniversários ou se somente deveríamos agradecer todos os dias, por tudo e por todos. Hoje eu paro e penso o quanto é significante ter uma comemoração.
 Festas e grandes eventos não são de fato comemorações. Para mim, imortalizar as pessoas, lugares e situações é o grande evento. Eu nunca pensei se ela um dia pisou por aqui, se já leu uma coisa ou outra, mas em verdade vos digo: Isso pouco importa. Sério, não me preocupo com o observar das pessoas, principalmente o dela.
 E falando nela, olha só ela me ligando. Tão cedo e tão logo. Sei que ela deseja ouvir um "bom dia", mas hoje eu não tenho como o fornecer. Estou naqueles dias tristes em que fico querendo sumir só por não saber o que fazer, e mesmo sabendo que ela tem todos os argumentos do mundo para me fazer ficar bem, mesmo sabendo que com o sibilar de seu timbre em meus ouvidos irá me fazer sorrir, mesmo assim eu sei que ela vai perceber que estou triste, por mais que ela não diga, mas suas palavras palpitam entre uma e outra e acabamos naquele clima de "deveríamos nos ver". Ela finge que não se importa, mas ela fica na torcida que tudo dê certo, me dá a distância necessária para que eu enfrente meus problemas e quando é necessário ela chega perto, fala do mundo, conta estrelas, rodopia em malabares as próprias conquistas, me mostra que a vida é complicada e que podemos ser felizes mesmo assim, que a vida é um lutar infinito.
 De brigas e discussões não somos fortes, na verdade nunca vi uma situação assim entre nós. Pra manter nosso vínculo por tanto tempo deve haver uma palavra. É amor. É mais o que as palavras possam dizer, só isso pode definir o quanto foi vivido, de tantas estradas e aventuras, de tantas lágrimas e risadas, e no fim nós. Sempre nós no fim de tudo, um olhando o outro, sentados lado-a-lado maltratando os próprios dedos e resmungando da vida, rimos desejando que tudo se exploda, porém eu te conheço, e você já não veste aquele roupa vermelha e faz surgir mais dois braços, não há carapuças ou outros artifícios, é puramente você.
 Fui criado em uma geração de rua, onde seguir o que todo mundo faz era dito certo a se fazer. Meus heróis dos quadrinhos e da tv, minhas músicas antigas e novas mixagens, minhas coleções que hoje são lixo, tudo isso vou passar aos meus filhos e netos, se eu puder, e principalmente hoje que não há mais glória na imaginação, vou contá-los a maior histórias de todas, a tua história.
 Contarei que um dia conheci alguém que nunca imaginei ver novamente e que anos depois, por um acaso, acabei vinculando corpo e alma. Meu corpo era extensão da tua vontade, fui praticamente um ajudante de super-herói, nem sempre presente, mas sempre pronto pra auxiliar. Talvez seja essa nossa arte, você me vê como poucos conseguem, me vê com os olhos de criança, esses mesmos olhos que brilham ao ver um embrulho que chama teus dedos, você me conversa com essa boca que sorri de forma branda e muitas vezes estrondosa. Conheço teu rubor envergonhado, teu temperamento forte em proteção, conheço tudo aquilo que você tenta não mostrar, do mesmo modo que você sabe quando é necessário apenas sentar próximo à mim para que eu respire fundo.
 Contarei aos meus descendentes que amizade é mais que um valor, muito mais que um favor. Amizade é algo irracional que deriva do amor absoluto. Não há idade, cor, sentido, movimento social nem fase lunar. Eles conhecerão da lenda que fui participante, ora coadjuvante, ora mero figurante. E o mais engraçado é que eles nunca entenderão que a distância foi o que nos aproximou, a vida nos remeteu a caminhos totalmente diferentes, e o mais engraçado é que eu deposito meus sonhos nela, e ela me oferece tanta esperança que me impulsiona de uma forma que eu sinto como se pudesse levar o mundo nas costas, meu peito se enche de um ar que é notável. Meus sonhos são alimentados também por ela.
 Uma das poucas pessoas que acreditam em sonhos, desses de querer ser quando crescer. E se um dia eu crescer, se um dia eu chegar onde ela diz que é o meu lugar, vou doar a história do meu caminho àquela que se tornou norte em meus pensamentos, ela que com simplicidade me arranca sorrisos e murmúrios. É dela a intenção que o mundo mude para melhor, veio dela a minha verdade, a aceitação que as pessoas devem se aceitar como pessoas, com suas manias, com seus desejos e temores. Aprendi tudo isso com ela. Aprendi tanto que quando comento com alguns que ela existe, me dizem que não é possível alguém assim existir, alguém que é tão verdadeira ao ponto de agradar poucos. Poucos, tipo eu. Tipo únicos, tipo nós.
 Se um dia eu me acabar, se um dia eu for dessa pra melhor, eu não me importo, mas a lenda tem que continuar, porque o bom exemplo tem que ser passado adiante. O sonho tem que ser sonhado por algum sonhador, pois vivemos em um mundo de possibilidades. E disto ela foi e é, prova viva.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Faça amor nu.

Faça Amor, Não Faça A Barba!

Quando bate aquela saudade.