Medo


 Me pego em posição fetal, no canto da sala, escondido do mundo. "O que você está fazendo vai mudar alguma coisa?" você me perguntou. Respirei fundo e respondi "Não... mas me sinto bem melhor por dentro."
E foi assim naquela madrugada, enterrando meus piores medos no chão da sala, perfurando o piso com minhas lágrimas de desencanto, ora raiva de si, ora puro desabafo. 

 Fecho os olhos sempre que o turvo se faz. Tenho medos bobos nada ocasionais, como o medo de ir em frente, medo de palhaços, medo do escuro, medo de ser feliz. Coisas que ninguém tem, que ninguém se presta a entender ou respeitar. Me tenho como um andarilho em um campo minado, onde ser eu mesmo é saltar entre blocos quebradiços de tolerância, a qualquer momento explodirá em revolta ou comentários maldosos.
 Este sou eu. O ridículo que acredita que de alguma forma mudará o mundo, mesmo este sendo hostil do começo ao fim, sem dar garantia de um tempo bom. Nada dará certo, isso eu sei, mas de todo eu tenho que tentar, é de minha natureza ser teimoso, de agarrar um único elogio e rasgá-lo até o último dia possível de sua efetividade, sou de sorrir pelas alegrias de gente que nem conheço só por ser a alegria um sentimento verdadeiro e contaminante. Sou diminuto em relação aos grandes problemas da vida, mas na minha vida há vários grandes problemas.
 E sabe do que adianta ficar resmungando e choramingando pra tudo e para todos? Nada. Não adianta de nada, só te faz fraco e com sentido de pena. Chorar e sofrer é necessário e até reconfortante, mas na hora certa. Não faça isso de palco para vias fáceis, faça isso no momento mais íntimo, na hora de dormir, no banho, no lavar roupas, no caminho para casa pela ruela vazia. Sofrer nos remete ao refletir, e do refletir vem a mudança, a ação e os resultados. Levante do chão quando for hora, mas enquanto não se sentir preparado, tome o tempo que quiser.
 Na vida não há pressa maior do que a de ser feliz, mas para tal é necessário preparo ou faremos merdas e acabaremos com tudo em pouco tempo. A felicidade em mãos levianas são catalizadas de maneira violenta, então seja brando e perspicaz, viva de forma simples e complacente.
 "Eu sei que você não gosta de falar quando está triste, sei que não gosta da presença das pessoas questionando isso e aquilo, até porque não tem como explicar sentimentos... Olha, ficarei aqui sentado do teu lado, calado, e quando você achar que já está pronto, nós nos levantaremos e seguiremos em frente."

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Faça amor nu.

Faça Amor, Não Faça A Barba!

Eu fui à praia sozinho.