Outra Pergunta?


     E eu queria fazer outra pergunta, até lancei a proposta, mas não consegui completar meu ideal. Fui amedrontado por si em pensar em bobagens que ainda não consegui assimilar, não queria direcionar latente ferida para qualquer cura que não viesse do meu eu, seria covardia. Entretanto perdurou na boca seca o sabor agridoce da verdade que estava preste a ouvir. Como eu queria ouvir que era querido, ou até mesmo uma simples saudades, nada perfeito ou extremo ao tempo.
     Seria forçar a barra qualquer forma de aproximação voluptuosa. Tenho que esperar as coisas acalmarem, saber o que posso fazer, criar um padrão, para daí iniciar um caminho. Trabalhando com as probabilidades eu posso até não espantar em me perder no caminho que quero encontrar. Só eu sei por onde andei e onde quero chegar, devagar, cantando em sussurro o meu amor.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Faça amor nu.

Faça Amor, Não Faça A Barba!

Eu fui à praia sozinho.