Halloween


     E todas as assombrações percorreram o mundo, livres e capazes. Em, durante, vinte e quatro horas, todos os seres do mundo das trevas recebem a carta branca para pisar nossos solos, cruzar nossos mares, e até entrar em nossas casas. Antes eles que os próprios humanos. Humanos do passado remoto, passado mais que perfeito ou presente dispensável, não importa o tempo vital que queira conjugar.
    Deixe os antagônicos do lado de fora do seu mundo, dispense salpicadelas promessas de tempos melhores, abutres ainda irão circular nossas cabeças em busca da pureza emocional. Comemore o dias das bruxas com puro festim, mas não acate isso para a sua vida, já basta a máscara diária que temos que resplandecer para o contento social, para a defesa do ego, para simplesmente não ter que explicar o necessário para pessoas desnecessárias. Deterioreis os presentes deixados na porta da sua vida com os bilhetes de "Doces ou Travessuras", lembre-se nunca são doces apenasmente.

     Bons usando fantasias horripilantes, psicopatas com vestimentas angelicais. Olhando assim os nossos dias comuns não são tão diferentes do Halloween. Todos buscam explorar o lado que tem de valor em demasia, seja bom ou ruim, seja por oculta objeção ou gritante aceitação. Como um trocadilho que se transforma em indireta, contemplar os sórdidos prazeres mundanos com a desculpa que é apenas uma travessura, não me vem a calhar. 


     Já dizia um personagem que muito me identificam: "Eu adoro halloween, pois é o dia do ano em que todos estão mascarados, não apenas eu." E é assim que persigo os prioritários desejos de ser quem sou, através de incógnitos olhares através da máscara que uso em ambientação de conforto próprio. Da selvageria cruel que transborda mundo, possuir um aparato de segurança cabível me parece, de fato, bem proveitoso. Isso não quer dizer que sou traiçoeiro ou deturpador de verdades, muito pelo contrário, por saber que hoje tudo é uma questão de interesse, demonstrar feição e sentir com a mente é arma contra os sombrios que não pertencem ao mundo das trevas, os Ghouls que sugam nossa vida, os mercadores de felicidade, os ladinos de sonhos, os vampiros do afeto, as bruxas da ilusão... Todos esses seres que nos cercam todos os dias, parentes, amigos, vizinhos, colegas de trabalho, pessoa que nunca conheci mas que morre de inveja de mim... todos esses serem que subjulgam seres humanos, a máscara da proximidade serve para isto.
     Vivo meu halloween todos os dias, enfrentando meus fantasmas e sorrindo sob a máscara.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Faça amor nu.

Faça Amor, Não Faça A Barba!

Quando bate aquela saudade.