É Sério Isso?


      Transparência é tamanha que as pessoas confundem gentileza com gente lesa. Ser legal não é aceitar tudo sem reclamar, não é fazer porque apenas pediram, ou seja lá por ter uma carinha interessante. Existem várias atribuições que determinam se uma pessoa é agradável ou está sendo uma. Deste ou doutro modo, eu não me importo sobre o que você acha do meu comportamento, já que do mesmo modo não sou obrigado a ficar próximo a ti, porquê cargas d'água você insiste em me rodear?
      Sou terrível, maligno, frio, calculista e moderadamente excêntrico;  posso ser o que eu quiser na hora em que bem entender, porém se você quiser que eu seja mais "agradável" aos teus olhos, evite:

    Desespero- Não sei bem se é carência, síndrome de atenção ou simples falta do que fazer. Há pessoas que tem a necessidade ínfima e latente de perturbar; Consciente ou não, atrapalha do mesmo modo. Se se me ligam uma vez e eu não atendo a ligação, possivelmente estaria ocupado para falar, mas de logo estarei retornando a ligação. Então porquê raios continuam ligando incessantemente? Se não antedi na segunda chamada, você acha mesmo que depois da vigésima terceira eu atenderei? Não mesmo. Por mais que eu quisesse atender, meu temperamento malino não o deixa. "Morra!" Penso em seguida. O desespero por algo que pode ser protelado, ou ser deixado de lado por seu grau de importância me rasga a paciência de uma forma abrupta. 

    Histeria- Quer ser engraçado, quer contar uma história, quer cair? Faça de modo silente. Desordem e bagunça é algo que se faz em certos lugares, com certas pessoas e em horas certas. Balburdias, histeria, gritaria e coisas peculiares de gente que se mostram demais não me atrai em companhia. Vejo como perturbação não só de ordem pessoal, mas como principalmente de gênero coletivo. Risadas estrambóticas e mecanicamente forçadas para demonstrar impacto ou então conversas de pessoas próximas mas com timbres tão altos como se falassem entre ruas, para mim isso é falta de educação e pessoas complacentes com bons modos não fazem isso. Uma vez ou outra até vai, mas sempre é... (pigarro...) baixaria.

    Tocar- O toque na comunicação é tão fundamental quanto os olhares e tal como os olhares tem que ser dados com sutileza e afeto. Falar batendo, esmurrando coisas ou então esmagar o que tem perto é tão irritante quanto conversar com quem fala muito uma só palavra, ("né?!", "aí", "véi", "foda", "iapois"). Não só impacienta o ouvinte quanto demonstra a ineficácia de concentração do locutor, pois se de um lado alguém tenta falar e demonstra querer atenção por uma mania involuntária ou safadeza, do outro lado temos o ouvinte que se cansa de apanhar, de ser cutucado ou de ver o copo sendo aberto em polvo-formato.

     Polimento- Palavras bonitas, elogios, educação perceptível, tudo isso é bem-vindo quando muito não é utilizado. Até alguém que pede desculpas demais me levanta a sobrancelha esquerda. Posso ser temperamental, confesso, entretanto alguém que sempre fala bonito demais, polido demais, demais e demais das duas uma: ou não tem noção do mundo onde vive, ou quer agradar à todos de uma forma "sutil". Uma nota para você que o faz com frequência  Estou de olhos bem abertos para sua boa aventurança.

     Falta de Dosagem- Nada na vida é tudo ou nada, oito ou oitenta, quando você vai aprender que tudo é uma questão de momento e que mantramente repito "Vivemos em um mundo de possibilidades"? Pessoas que vêem o mundo com os olhos do fim do mundo, onde tudo que acontece de bom ou ruim é como a ultima festa ou holocausto do mundo. Exagero em demasia; Hiperbolismo; Falta de bom-senso. São tantas coisas que prefiro nomeclaturar como Falta de Dosagem, pois entre agora e logo agora exitem mil momentos, vidas e situações. Bem como 2+2= Peixe. (Você se pergunta o "Por quê peixe"? Eu vo-lo respondo
Porquê não?)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Faça amor nu.

Faça Amor, Não Faça A Barba!

Eu fui à praia sozinho.