Simbiose



Teu vinho esta noite
És meu sangue quente
que num beijo ardente
escorre em tua boca
perversa e indecente

Tua fome saciada ….
Na minha carne rasgada
Simbiose … dor e prazer
Do gemido e lágrima caída
Que tua língua vem lamber

Banquete para teu deleite
Meu corpo preso em corrente
Onde o carinho é feroz açoite
E a melodia para teu ouvido
És meu grito de tesão doído

Em algemas vejo-me presa
Nas tuas mãos uma vela acesa
E a imensidão que me faz sentir
És minha única certeza
Que não quero mais fugir

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Faça amor nu.

Faça Amor, Não Faça A Barba!

Eu fui à praia sozinho.