Cabeça~de~Vento


 Tenho que concordar que nem sempre as coisas precisam ter sentido para que tenham razão, mas quando não se tem nenhum desses dois fatores, fica meio complicado se saber o que quer ou onde se quer chegar.

 Em uma dessas crises pluri-existenciais de exo-intimidade (in)existente, me deparei com a observação do ciclo de interação das pessoas ao meu redor e por mais louco que pareça, nada faz sentido. As pessoas falam algo e agem diferentemente daqui que se propõe, são paradoxais. Me vejo deslocado por não saber se o certo é falar e fazer ou ver e ignorar.

 Não bastando tudo ser mais complicado para mim, me vejo esses dias meio ausente da minha vida. Acho que tomei alguma droga que me fez efeito permanente, não sei se foram os anti depressivos, os relaxantes musculares, os placebos, os cubos de açúcar, ou minha imaginação contida em um frasco preto com uma caveira branca impressa no rótulo.

 Sério, algo está se passando, ou melhor, algo não está se passando e tornando os dias comuns e impossíveis. Os vários números prováveis e algorítimos da probabilidade infinita está se dissolvendo em algumas questões como Sim ou Não. E isto está bastando por agora.
 O vazio está contemplando pouco-a-pouco a mente, antes difusa em engrenagens de pensamentos e ideais que tomavam conta do espaço cerebral.


Embora seja Agosto, sinto-me apenas digno de existência. Não lembro a ultima vez em que minhas conversas eram tidas como "interessantes", não lembro ainda quando foi a ultima vez que sai com alguém e perdi a hora de voltar para casa, recordar algum debate sobre teorias da conspiração é de fato muito difícil hoje. 

Enquanto as coisas continuam paradas e a vida acelerada em degradê, carrego minha mente que se esvazia a cada dia que passa, a cada nascer do sol que contemplo com receio de ser um dia como os outros, sem possibilidades.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Faça amor nu.

Faça Amor, Não Faça A Barba!

Eu fui à praia sozinho.