Olinda e suas ladeiras... Oi Goku!

Como descrever Olinda? Deixa eu ver se consigo...

Imagine a rua da sua casa. Agora imagine-a com tipo, umas 100 pessoas. Agora acrescente mais mil pessoas. Agora acrescente 1 milhão de pessoas, de todo tipo e gênero, animais, objetos e coisas não imagináveis. Pronto isso é metade de Olinda.

Nunca imaginei tanta gente num lugar só. E todo mundo fantasiado de alguma coisa ou com o mínimo de roupa. Finalmente sei o que significa CARNAVAL.
Ladeiras e casas de arquitetura barroca é o cenário do grande povão. Seja frevo ou maracatu, seja o velho rebolation ou o novo superman. Tudo toca, e tudo vibra movimento em Olinda. Não há opção de descanço naquela cidadela, não há pudor ou licitudes. Tudo se torna possível e banal.
Lembro-me que havia tanta gente que não se passava pelas ladeiras, você simplesmente era passado por ela, não se fazia esforço para caminhar, fazia apenas para ficar de pé. Era um empurra-empurra desgraçado que me fazia rir, quantas vezes eu rodei no próprio eixo só do povo me empurrar. Só percebi que estava andando de ré, quando alguém gritou reclamando.
Olinda me dá crises de risos, e lágrimas de saudades. O que tinha de gente fantasiada tinha o mesmo de gente linda. As mulheres eram incríveis e os homens super top's [inclusive eu, desculpaê eu morei na Europa].
Pena que não posso contar as melhores partes... Mas Olinda representou a bagaceira para mim.

Até o Ano que Vem.

Comentários

  1. Você conseguiu fazer surgir uma vontade (pequena) de conhecer esse carnaval :}

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Faça amor nu.

Faça Amor, Não Faça A Barba!

Quando bate aquela saudade.