Onde você se esconde?

Há pouco tempo você tivera a oportunidade de retomar algo que deixou para trás, como doutra vez deixou tudo e partiu. Sei que fiz tudo o que eu podia naquela época, assim como seu pai dissera "Este menino pensa como um ancião", e também agi como tal, sem arrependimentos.
Sei quando você tentou se aproximar de mim, eu fiquei com medo, admito. Não quero viver coisas ruins se puder evitar, sei que julgo errado em demasia, pois todos mudam uma hora ou outra. Assim como te disse um dia antes de seu aniversário de 23 anos, lembro que você olhou para mim em teu seio e me dissera tão doce quanto raro "Não acredito que você exista, e não acredito que um dia morrerá. Uma pessoa como você é um marco na vida de qualquer um que permita você entrar." e em troca apenas balbuciei e tu ouvira assim "Tudo tem um tempo certo e motivo apropriado para acontecer"
Embora eu tenha amadurecido por tua causa, outras coisas esculpiram meu caráter, inclusive o apoio dos teus pais, que hoje não pertencem ao meu circulo de amizades pela distância. Minha juventude era dividida entre minha família, você, meus amigos, minhas festas e escola. Sabe o quanto era difícil esconder essas coisas uns dos outros? Deve ser por isso que meu grau de esquizofrenia aumentara. Me sinto em colapso sempre que passo pela tua rua, hoje repleta de prédios e lembro que em algum lugar dalí você morou um dia, onde a gente se divertia muito, e também brigava bastante por sua teimosia e porra-louquice.
Desculpas por não ter tido coragem de ir conversar com você, é que não quero estragar as lembranças boas e ruins que tivemos. Nossas emoções e anseios, tudo que ficou marcado em nós. Tenho medo de te procurar e aprofundar novamente, só quero um coleguismo. Preocupo-me por não ter um local pra te imaginar, apenas um perfume pra lembrar-te. Não sei onde estás, o que fazes, apenas não sei. Um elo que nos prende se dissipa e se costura todos os dias, como fazemos para manter tudo num equilíbrio perfeito? Será que um dia podemos conversar sobre nós e não brigarmos, será que você ficou melhor da sua teimosia? Será que eu estarei disposto a enfrentar meus tormento em relação à você?
Essas perguntas ficam em mim desde o dia que você passou por aqui de carro, incrível como você ainda sabe andar por Maceió. Na verdade essa cidade não mudou, nada não é? Mas eu mudei tanto, tanto mesmo que se fosse voltar no tempo com minha cabeça de hoje, acho que não tinha nem te olhado. Todos os meus conceitos mudam de acordo com o tempo, assim como a sociedade evolui com a tecnologia. Resta apenas minha saudade e a esperança de te abraçar novamente.
Saudades Chanel nº5.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Faça amor nu.

Faça Amor, Não Faça A Barba!

Eu fui à praia sozinho.